Morte Súbita - J.K Rowling

Esse é o primeiro livro adulto da autora.
Sinopse: Este livro de J.K. Rowling conta a história de Pagford e seus habitantes, que, após a morte inesperada de Barry Fairbrother, membro da Câmara do vilarejo, fica em choque. Pagford é, aparentemente, uma pacata cidade inglesa com tudo o de mais comum e organizado que pode haver, mas o que está por trás da fachada bonita é uma cidade em guerra - uma guerra de classes, credos, gerações e interesses. Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com seus maridos, professores em guerra com seus pupilos - Pagford não é o que parece ser. O assento vazio deixado por Barry no conselho municipal logo se torna o catalisador para a maior guerra que a cidade já viu. Quem triunfará em uma eleição repleta de duplicidade, paixão e revelações inesperadas?


Avaliação: ★★★★★

O livro começa com a repentina morte de Barry Fairbrother, um homem muito respeitado e um dos conselheiros de Pagfort. Com sua morte, abre uma vaga no conselho onde muitas pessoas do vilarejo se interessam por preencher essa vaga e fazendo com que isso crie muitos conflitos entre os membros do vilarejo.

Morte Súbita realmente me surpreendeu. Ao ser o primeiro livro adulto de J.K, fiz o possível para deixar a comparação com Harry Potter de lado, mas não deu muito certo. Mesmo assim, ao começar a lê-lo, achei o livro meio entediante e confuso pelo fato de mudar repentinamente o ponto de vista de um personagem para o outro.

Em falar nos personagens, achei a maioria personagens muito bem feitos e que todos se desenvolveram muito bem no enrolar da história (apesar de constantemente confundir os pais do Bola com os do Andrew. J.K criou personagens engraçados, fáceis de serem odiados, irritantes, chatos e por ai vai.

Um problema, a meu ver, seria o uso excessivo de palavrões. Achei que a autora quis usar esse palavreado que diferenciasse a escrita infantil de Harry Potter para a escrita mais adulta de Morte Súbita, coisa que achei muito desnecessária para um livro.

Outro problema foi como o livro acabou. Achei que ele ficou meio vago, pois não sabemos o que acontece depois de resolverem as questões políticas do livro. O que aconteceu com tal pessoa depois de determinado fato? O que aconteceu com a clínica? Tal pessoa realmente mudou? Esses dois personagens ainda são amigos? Não sei.

Sempre dizem que finais vagos significam que o leitor deve dar asas a sua imaginação e inventar um final que te agrade ou o que conduza o caminho mais correto diante dos fatos. Pessoalmente, não gosto dessa forma. Deve haver um final coerente com o que a autora pensou e escreveu, mas J.K não nos deu essa opção.

Mas apesar disso, J.K escreveu um livro maravilhoso, com personagens cativantes e um ritmo gostoso de ler. Realmente recomendo Morte Súbita para todos, tanto fãs de Harry Potter quanto não fãs.

Nota: Gostaria de apontar o grande trabalho da editora Nova Fronteira que além de deixar a capa original do livro, fez um ótima tradução.

7 comentários:

  1. Oi Fernanda, gostei muito da sua resenha. Mas ter mais cuidado com a pontuação do texto. Encontrei alguns erros. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Oi, gostei da sua resenha. O erro de muitas pessoas é começar a ler o livro achando que vai ser como Harry Potter e, ao se deparar com os temas de Morte Súbita, levam um susto...muitos até largam o livro.
    Enfim, eu entendi o porquê de tantos palavrões... faz parte do dia-a-dia dessas pessoas.
    O que eu mais gostei foi que não tem uma personagem principal. O principal seria o Barry, e nem sabemos como ele era de verdade. Só sabemos como ele era pela opinião dos outros. E também o fato de todos serem tão humanos, cheios de defeitos e qualidades, suas contradições e etc.
    Concordo com você em relação ao final do livro, queria muito saber o que houve com a amizade do Bola e do Andrew...
    Desculpe pelo comentário enorme, acho que me empolguei rsrsrs
    Adorei o blog, bjos ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thata, sim, é do cotidiano deles, mas eu não sou muito de falar palavrão então meio que me incomodou. Assim que eu abri o livro, fiquei mentalmente pensando "Não é que nem Harry Potter, não compare!" Mas é inevitável não procurar algo relacionado, não é? Afinal, são sete livros sobre o Harry e é difícil aceitar a despedida.
      Mas depois de superar tudo isso, li numa boa.
      O fato de não ter personagem principal foi muito legal também, apesar de eu sempre confundir os pais do Bola com os do Andrew, podemos conhecer vários personagens melhor.
      Eu quis saber o que aconteceu com a clínica (Apesar de muitos seguirem um raciocínio obvio, vai saber, tudo pode acontecer), com o Bola e o Andrew, a mãe da Krystal...
      Não tem problema nenhum deixar comentários enormes, eu adoro!
      Muito obrigada por lê-lo (:

      Excluir
  3. Muito boa!O mais legal desse livro é que no começo é entediante e depois ele fica emocionante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente!
      Eu fiquei tão desapontada por ser entediante e pensando que ia logo desistir do livro, mas no fim, eu AMEI!

      Excluir
  4. Gostei muito da sua resenha, porém eu particularmente não gostei do livro por este mesmo motivo: entendiante, além de ser uma leitura muito massante e utilizar muitos palavrões.

    Eu, infelizmente, me desapontei.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Obrigada Elaine.
      Eu achei o livro entediante só no começo, depois não consegui parar. Pois é, os palavrões me incomodaram muito, mas mesmo assim, gostei.

      Abraços!

      Excluir